O Partido

 

São Paulo não pode parar!

O Estado de São Paulo vem perdendo nos últimos anos seu status de locomotiva econômica do Brasil porque deixou de inovar. Tem investido pouco em desenvolvimento social e tecnológico, não conseguiu modernizar a administração pública e a qualidade nos serviços prestados é motivo de muita reclamação do povo paulista.

A frase “São Paulo não pode parar”, proferida em 1950 e atribuída ao ex-governador Ademar de Barros, era respaldada pelo exímio crescimento do estado naquele tempo, considerado um dos mais pujantes do mundo. Cerca de 60 anos depois, porém, como resultado de políticas públicas insuficientes para nos manter na dianteira, vemos o estado sendo rebaixado dia após dia.

São Paulo tem as melhores rodovias do Brasil, é verdade, mas a um custo caríssimo para o contribuinte por ter também uma das maiores praças de pedágios do planeta. A arrecadação com o IPVA, que utopicamente deveria ser revertida para atender as demandas viárias, não se destina a esse fim porque a lei não obriga investir no setor. Pagamos duas vezes!

A sensação de insegurança também aumentou consideravelmente na última década. Pesquisas de opinião revelaram que cerca de 70% dos paulistas têm medo da violência que cresce a cada ano. As polícias Civil e Militar, bem como os Agentes Penitenciários seguem com uma das mais baixas remunerações do Brasil e, consequentemente, sem estímulos para bem servir.

Com a educação não é diferente. Os professores também têm salários que não condizem com a excelência da profissão e os investimentos em capacitação praticamente não existem. Alunos passam de ano sem aprender e o que era pra ser um modelo de progressão continuada se transformou em promoção automática.

Apesar de todas as dificuldades, o PRB paulista tem trabalhado para reverter esse triste quadro. Os deputados federais e estaduais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores do partido têm sido combativos na defesa dos interesses do cidadão. A proteção intransigente da coisa pública é a essência da criação e existência do PRB.

Os avanços construídos pelo PRB no estado nos últimos anos foram muitos, mas precisamos ir além. Ao ter aceitado acumular a presidência estadual do partido, Marcos Pereira inicia uma nova e importante fase nesta trajetória de sucesso. Já estamos debruçados discutindo e propondo novas atitudes diante de questões como as exemplificadas acima. Assim deve agir um partido.

O PRB São Paulo está construindo seu programa de governo e vai mostrar que as mudanças que sonhamos são possíveis quando se tem vontade política e espírito republicano. Todos os dias recebemos nas fileiras do partido pessoas igualmente interessadas em fazer a diferença. Juntos temos declarado numa só voz: “São Paulo não pode parar”. Seja 10, filie-se!

Diego Polachini – Coordenador de Comunicação – PRB/SP