pgTaubaté (SP) – Tramita na Câmara Municipal de Taubaté um projeto de lei, de autoria do Vereador Nunes Coelho (PRB), que propõe prioridade no atendimento a diabéticos em laboratórios de análises clínicas, quando o exame a ser feito exigir que o paciente esteja em jejum.

“Segundo informações que obtivemos uma pessoa portadora de diabetes não pode ficar mais de três horas sem se alimentar, pois podem passar por sérias complicações, imagine ficarem 12 horas ou mais”, comentou o vereador.

Um período muito longo sem alimentação pode desencadear para os diabéticos sérias crises de hiperglicemia ou de hipoglicemia. A hiperglicemia é o aumento de glicose no sangue, esse quadro pode causar enjoo, visão turva, cansaço, dor de cabeça, dores abdominais, arritmia cardíaca e em casos extremos pode provocar coma.

No caso de hipoglicemia, ocorre o contrário, o nível de glicose no sangue cai, ficando abaixo do normal, e pode provocar ânsia e vômitos, tremores, desmaio, taquicardia, enjoo e convulsões.

O texto explica que o munícipe interessado na obtenção do benefício, deverá, no ato da solicitação do exame, comprovar sua condição de diabético ao responsável pelo serviço de coleta. E no caso de não cumprimento da lei o parlamentar determina sanções diferentes para instituições privadas e públicas. Para o privado a penalidade passa pela advertência, multa e até suspenção do alvará. Se o problema ocorrer em órgão público de saúde caberá o poder executivo aplicar seu próprio processo administrativo disciplinar.

“Penso que com a aprovação dessa lei, vamos garantir aos portadores de diabetes  uma ferramenta a mais no controle da doença”, afirmou Nunes Coelho.

Fonte: Ascom Vereador Nunes Coelho

Posts Relacionados