WhatsApp Image 2019-02-22 at 14.56.17

São Paulo (SP) – O Partido Republicano Brasileiro (PRB) do Estado de São Paulo defende que seus representantes, ocupantes de cargos públicos, realizem uma gestão clara, transparente e voltada para serviços que não prejudiquem a população. Está circulando nas redes sociais um vídeo onde o Vice-Prefeito de Sumaré, Henrique do Paraíso (PRB), 1º suplente a Deputado Federal, com mais de 54 mil votos, aparece retirando um radar móvel, na Avenida Fuad Assef Maluf, no Jardim Picerno. O aparelho estava sendo utilizado de forma irregular pela empresa terceirizada prestadora de serviço para o município do interior paulista. Ao ouvir inúmeras reclamações dos moradores e a falta de transparência, o vice-prefeito se exaltou e durante a retirada do aparelho acabou tendo uma atitude intempestiva.

Segundo nota da própria Prefeitura de Sumaré, Henrique do Paraíso, estava cumprindo uma determinação do Prefeito Luiz Dalben, que orientava que ele fosse até os locais onde os radares móveis estavam instalados e os retirassem das vias.

Após tomar conhecimento do vídeo, o Presidente Estadual do PRB, Sergio Fontellas, convocou o republicano Henrique do Paraíso para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido. “Temos que lutar pelo melhor pela cidade e pela população sempre. Mas claro que isso deve acontecer sem exageros e com uma postura que gere bons exemplos. Vou sentar com o vice-prefeito de Sumaré e conversar sobre o fato. Eu o conheço, trata-se de um homem de princípios e sei que essa atitude não se repetirá”, disse Fontellas.

 

Confira nota do Vice-Prefeito, Henrique do Paraíso, na integra abaixo;

“Após ouvir inúmeras reclamações dos moradores, fui pessoalmente até o local retirar o equipamento da via. Minha revolta foi causada devido à utilização do aparelho de forma imoral pela terceirizada, prejudicando a população e, por isso, acabei me exaltando e tomando a atitude registrada no vídeo. O aparelho só poderia ser instalado quando houvesse justificativa e a necessidade do mesmo, quando apresenta alto índice de acidentes, por exemplo, o que não é o caso da via onde o radar móvel estava, mesmo sendo previsto o local no contrato.

O contrato para a instalação dos radares prevê o radar móvel, porém, não é porque está previsto que deverá ser utilizado pela terceirizada sem a autorização prévia do executivo. Da mesma forma, não é porque está previsto o armamento dos colaboradores da Secretaria de Segurança que as armas de fogo deverão ser utilizadas sem necessidade. Porém, ressalto que o principal objetivo, que era retirar os equipamentos das vias da cidade, foi cumprido, não prejudicando ainda mais os munícipes”.

Texto: Juscelino Pereira Jr. – Ascom PRB/SP

Comunicação da Presidência Estadual PRB SP

Posts Relacionados