F 01

Campinas (SP) – O vereador Fernando Mendes (PRB) promoveu na útima quinta-feira, 25 de julho, uma audiência pública na Câmara Municipal de Campinas, para discutir o projeto de lei nº 170/2019, de sua autoria, que inclui no calendário municipal o mês “Dezembro Faixa Preta”. O objetivo do projeto é promover atividades ligadas às artes marciais, bem como a inserção destas modalidades nas escolas e instituições do município.

A audiência lotou as dependências do plenarinho e contou com a presença de diversos mestres, professores e alunos de artes marciais. De acordo com o Regimento Interno da Casa, toda a proposta que visa criar uma data no calendário do município precisa, obrigatoriamente, passar por discussão em audiência pública.

Para o Fernando Mendes, a proposta vai contribuir com o fomento desses esportes: “ A ideia do “Dezembro Faixa Preta” é fazer dele um projeto piloto dentro das escolas. Hoje contamos com diversas modalidades, e tenho certeza que as crianças e adolescentes se interessam pelas artes marciais”, concluiu.

Presente na reunião o secretário municipal de Esporte e Lazer, Dario Saadi, disse que a municipalidade tem todo o interesse nesse projeto. “As artes marciais sensibilizam não só como esporte, mas na formação do caráter sobretudo de crianças e adolescentes. Entendo as artes marciais como fundamentais para a transformação das pessoas”, comentou.

Carlos Alberto Liberi, mestre em jiu jitsu, lembrou que em alguns estados e países, as artes marciais fazem parte do currículo das escolas e que, por definição, a arte marcial é o “buscar o belo por meio da guerra contra você mesmo”.

Para o mestre de karatê e jiu jitsu, Roberto Thomaz, Campinas sai na frente e isso trará mudanças no esporte da cidade:” O pessoal das Artes marciais reconhece o trabalho que o vereador Fernando Mendes está fazendo, principalmente com relação em levar as artes marciais para dentro das escolas. É uma iniciativa primorosa, que a médio e longo prazo será uma catarse, uma mudança na nossa cidade”, disse.

Também foi citado que as artes marciais afastam os jovens da violência e das drogas, bem como tornam o indivíduo mais forte e mais capaz de enfrentar problemas. Yves Carbinatti, mestre de Jiu Jitsu e instrutor de jiu jitsu adaptado, disse que esse esporte é importante para o cultivo da hierarquia, do respeito e da disciplina. “Todos podem praticar as artes marciais, inclusive pessoas com deficiência” acrescentou.

Fonte: Ascom Vereador Fernando Mendes

Posts Relacionados