O sistema de tratamento dos resíduos passa a contemplar o manejo adequado do chorume, líquido produzido no aterro sanitário do município
O sistema de tratamento dos resíduos passa a contemplar o manejo adequado do chorume, líquido produzido no aterro sanitário do município

Agudos (SP) – O prefeito Altair da Saúde (PRB) anunciou que, pela primeira vez, o chorume decorrente do aterro sanitário de Agudos passará a receber tratamento adequado, o que torna a substância não agressiva à natureza antes da destinação adequada. “Isso foi possível graças a um contrato feito entre a Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, e a Sabesp, concessionária responsável pela estação de tratamento de esgoto do município”, explicou o republicano.

O primeiro processo de “tratamento” do chorume foi realizado no último dia 7 de maio.  Segundo o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Leandro Correa, a destinação do líquido, também chamado percolado ou lixiviado, era uma grande preocupação para a administração municipal devido ao risco de contaminação.

A cidade gera diariamente 30 toneladas de resíduos domésticos, que são levados para o aterro sanitário, localizado a 14 km da região urbana do município. Com o passar do tempo, ocorre o processo de decomposição destes resíduos, resultando na produção de chorume.

“Desde o início de operação do aterro, o chorume produzido estava sendo apenas armazenado e preocupado com esta questão, por se tratar de um líquido prejudicial à saúde e ao meio ambiente, decidimos como prioridade buscar alternativas para destinação deste chorume, então decidimos transportar para a estação de tratamento de esgoto, para proceder a destinação final de forma ecologicamente correta”, explicou o secretário Leandro.

O chorume é um líquido altamente poluente e tóxico, de cor escura, odor nauseante e dez vezes mais poluente que o esgoto doméstico que precisa receber a destinação correta. A estação de tratamento funciona no sistema de lagoas aeradas, seguidas de lagoas de decantação, com desinfecção na saída do afluente. Segundo a Sabesp, 100% do esgoto coletado em Agudos é tratado.

Texto e foto: Ascom – Prefeitura de Agudos

Posts Relacionados